software‎ > ‎módulos‎ > ‎engine‎ > ‎

noticias engine

Engine 64 Bits

postado em 18 de jan de 2017 12:12 por Marcelo Rocha   [ atualizado em 16 de fev de 2017 07:02 por Paulo Cesar Moreno ]

Foi liberada para uso em produção a versão 64 bits do Engine. Esta versão já estava sendo distribuída em paralelo com a versão 32 bits do Engine já há mais de seis meses, sendo usada intensamente dentro da Bematech. A versão 64 bits já encontra-se estável e hoje a recomendamos em todos os servidores do sistema. Em máquinas modernas, essa versão possui um desempenho similar a versão 32 bits, e um consumo ligeiramente superior, o que era já esperado tendo em vista o uso de endereços com o dobro do tamanho.

A versão 64 bits do Engine não possui o limite de no máximo 4 GB de memória RAM acessível, ou seja, ela permite o uso de toda a memória RAM da máquina. Dessa forma, erros de estouro de memória que comumente ocorriam no Engine 32 bits não mais ocorrem nesta nova versão*, exceto é claro, quando a máquina não possui memória RAM suficiente para a carga de usuários. 

O processo de upgrade do Engine distribui versões para as duas arquiteturas, 32 e 64 bits, sendo que para aquela, são dois executáveis: o iEngine e o Engine32.O iEngine é o executável padrão, construído usando um compilador mais antigo e bastante testado por nós. Já o Engine32 possui basicamente as mesmas características do iEngine, diferenciando-se por ter sido gerado por uma versão mais moderna do compilador 32 bits usado por nós. Para a arquitetura 64 bits, há apenas um executável, o Engine64. Todos os arquivos são armazenados na pasta dist, dentro da pasta de instalação do Engine. Dentro dessa pasta, há outras sub-pastas com executáveis e bibliotecas de código dinâmicas(DLLs), específicos para cada arquitetura.

O processo de substituição do iEngine pelo Engine64 no servidor da base consiste em copiar o Engine64 da pasta dist para a pasta raiz da instalação do Engine, e criar um novo atalho ou registrar o serviço do Windows. É necessário que tenha sido instalado no servidor, as versões 64 bits de outras bibliotecas que possam estar sendo usadas pelo Engine, tais como bibliotecas de acesso aos SGBDs Oracle e SQL Server, e o Java Runtime, comumente usado pela NFe(versão 7u21)

Os Engines clientes, que recebem suas atualizações automaticamente a partir de outro Engine no momento de sua inicialização, não recebem automaticamente a versão 64 bits. Para usa-la você deve acessar pelo navegador o endereço http://servidor_base/install e baixar o executável da versão 64 bits. Ao executa-lo, ele automaticamente receberá todas as bibliotecas necessárias. 

Numa rede com muitas estações, esse processo pode ser muito trabalhoso. Para estes casos, criamos uma forma de substituir o iEngine pelo Engine64 automaticamente: Acesse o manage do servidor, e na página configuration/general, selecione a opção Force 64-bit deployment. Essa opção vai fazer com que as estações façam o download do Engine64 e o salvem como iEngine, ou seja, o novo executável será instalado usando o nome antigo.
   
*Apesar de não existir um limite para o total de memória alocada pelo Engine, ainda existe um limite para o total de memória alocada por uma sessão Javascript.




Significativa melhoria ao 'Profiler', que identifica novas oportunidades de aumento de desempenho ao Sistema UNUM

postado em 21 de out de 2013 06:13 por Usuário desconhecido   [ 21 de out de 2013 06:14 atualizado‎(s)‎ ]

São muitos os fatores que podem afetar o desempenho de um sistema, sendo improdutivo tentar solucionar os problemas utilizando apenas a intuição e otimizações na estratégia de tentativa e erro.

Pensando nisso, foi implementado no Sistema UNUM uma melhoria que permite fazer, de forma veloz e automática, medições de performance e a localização de pontos para otimização com maior nitidez. 

Antes existia um esforço manual dos desenvolvedores para que esses pontos fossem detectados (manipulação de trechos de código com o 'objeto profiler' em blocos 'try...finally'). Hoje, com a evolução da ferramenta, é possivel fazê-lo de maneira simples e segura, impactando diretamente em qualquer investigação de desempenho do Sistema UNUM como um todo.

“A liberação desta melhoria possibilita um avanço incremental de performance. A velocidade com que o desempenho do Sistema se ampliará também será aumentada.”, destaca Michael Feitosa, desenvolvedor de plataforma.

José Luís Prado, presidente da organização, ressalta: “É sensacional o que essa ferramenta trará de ganho, de melhoria de desempenho. Com menos esforço e mais velocidade é possível encontrar gargalos e atacá-los. Será um processo de localização e resolução de problemas que impactará num desempenho sem igual do Sistema.” 

Os ganhos podem ser percebidos desde já. “Por vezes, os clientes não terão claramente a mensuração destas melhorias, por se tratarem de questões mais técnicas. No entanto, perceberão no exercer das suas atividades, a melhoria de performance e desempenho do Sistema UNUM.”, completa José Luís.

Para usar esta nova ferramenta, o desenvolvedor deve habilitá-la, selecionando-a na tela de configurações gerais do /manage a opção Automatic Profiler Active, em conjunto com a opção Profiler Enabled.



O que já era bom, agora ficou ainda melhor: o Sistema UNUM está mais veloz ao realizar as suas operações

postado em 28 de mar de 2013 06:14 por Usuário desconhecido   [ atualizado em 2 de abr de 2013 04:32 por Usuário desconhecido ]

A UNUM, sempre buscando a melhor solução tecnológica para melhor atender o mercado, implementou uma otimização no interpretador Javascript do Sistema UNUM que trará muitos benefícios para todos os módulos que o compõem.

A partir da utilização de identificadores únicos (átomos) como acesso às propriedades dos objetos, o Sistema UNUM obterá um ganho de performance de aproximadamente 8 a 10 % em sua velocidade de execução, em relação à performance até então empregada.

Este aumento de seu desempenho aportará agilidade para um grande número de processos inerentes ao Sistema UNUM, e se refletirá por extensão na mesma medida aos seus usuários e clientes.



Isto significa que toda operação realizada, por exemplo, nos pontos de venda, será otimizada em seus tempos de execução, o que possibilitará maior velocidade para a realização de negócios, rapidez no atendimento aos clientes e por extensão, maior volume de vendas, com a mesma segurança e fidelidade dos dados utilizados.

Mas esta melhoria de performance do Sistema UNUM alcançará igualmente outros segmentos negociais atendidos pela UNUM, como agronegócios, indústrias, distribuidoras e os demais ramos de atividade das empresas que compõem a sua carteira de clientes.



A UNUM sente-se plenamente recompensada pelo fato de sua iniciativa ter colocado à disposição do mercado um Sistema cada vez mais preparado para satisfazer as suas necessidades e especificidades, onde o tempo, a qualidade e fidelidade das informações são recursos indispensáveis ao desenvolvimento de qualquer empresa. 

1-3 of 3