software‎ > ‎módulos‎ > ‎engine‎ > ‎perguntas frequentes‎ > ‎

Como fazer para parametrizar a inicialização do Engine?

postado em 28 de mai de 2010 12:36 por Usuário desconhecido   [ atualizado em 10 de abr de 2017 07:52 por Paulo Cesar Moreno ]
A sintaxe de configuração da inicialização do Engine é:
  • Engine64.exe [serverAddress1,serverAddress2,serverAddressN] [dbName] [-nu] [-s] ...[argN]

Note que é possível configurar um cliente do Engine para que ele possar acessar um mesmo servidor de aplicação através de um ou mais endereços IPs. Por exemplo: c:\Bematech\Engine64.exe 192.168.0.1,200.200.200.200 BASEDEDADOS indica que o servidor de aplicação poderá ser acessado pelo IP 192.169.0.1 ou pelo IP 200.200.200.200. O Engine irá priorizar o primeiro endereço da lista, mas, caso o primeiro esteja off-line, o segundo endereço será usado.

O Engine aceita os seguintes argumentos via linha de comando:
  • -s ou --server: indica que o Engine será iniciado como servidor de aplicação. Nesse modo, não será aberto automaticamente o navegador.
  • -nu ou --disableAutomaticUpgrade: desliga a atualização automática do Engine a partir do servidor.
  • -lavfsc ou --loadiVfsLobTable: por padrão os registros da tabela iVfsLob são carregados sobre demanda. Quando está opção está ativa, o Engine passa a carregar integralmente essa tabela na inicialização do cache local e desativa o modo de leitura sobre demanda. Ativar essa opção pode penalizar significativamente a inicialização do Engine e deve ser habilitada apenas quando é necessário ter acesso a todos os arquivos da VFS, como as imagens de produtos, mesmo que o Engine esteja off-line.
  • -safemode ou --safeMode: inicializa o Engine em modo seguro, desativando definições de tabelas que não sejam essenciais ao funcionamento do Engine. O sistema não poderá ser utilizado em modo seguro. Ele deve ser utilizado apenas para realizar alguma correção de integridade que esteja impedindo a inicialização do Engine.
  • -dar ou --disableAutoRestart: indica que o processo do Engine não pode ser reiniciado automaticamente. Essa opção é útil no cenário onde o Engine está sendo executado e controlado a partir de um outro processo. Caso o Engine seja iniciado com essa opção e ele detecte que há uma nova versão no servidor, ele finalizará o processo com o código de erro 4 (EXIT_CODE_RESTART_REQUIRED). Caberá ao usuário invocar novamente o Engine para que ele possa concluir a atualização. Chamar a API server.restart() não reiniciará o Engine quando essa opção estiver ativa. Apenas será registrado no log que o comando foi ignorado.
  • -ddbcb ou --disableDBCacheBackup: indica que o Engine não deve criar ou validar o backup do cache local.
  • --httpPort=<value>: indica a porta HTTP que deve ser iniciada pelo Engine. Caso não seja possível abrir a porta indicada, o Engine será encerrado com o código de erro 5 (EXIT_CODE_PORT_COULDNT_BE_OPEN).
  • --disableGui: desabilita a interface gráfica do Engine, inibindo a exibição da tela de progresso da inicialização do cache local, o ícone da área de notificações e a abertura do navegador web. Essa opção é útil em cenários onde outros processos controlam a inicialização e finalização do Engine.
  • --jazArchive=<jaz_path>: indica o caminho de um arquivo JAZ que deve ser carregado na UFS do Engine. Essa opção somente será considerada se a base de dados permitir configurações externas da UFS. Mais detalhes em http://erp.bematech.com/o-que-fazemos/modulos/engine/manuais/scripts-em-disco.
  • --ufsDirectory=<dir_path>: indica o caminho de um diretório do sistema operacional que deve ser carregado na UFS do Engine. Essa opção somente será considerada se a base de dados permitir configurações externas da UFS. Mais detalhes em http://erp.bematech.com/o-que-fazemos/modulos/engine/manuais/scripts-em-disco.
  • --disableIdoSyncToDisk: desativa o sincronismo do IDO com o disco a cada transação efetivada. O IDO é o banco de dados utilizado pelo Engine para gravar os dados dos DataSets temporários e do cache local. Por padrão o IDO realiza um sincronismo com o disco a cada transação gravada para garantir que os dados gravados em disco estejam íntegros caso o Engine seja encerrado de forma forçada. Em servidores com redundância elétrica, esse sincronismo pode ser desligado para otimizar o tempo de gravação do Engine dos dados do cache local. Importante: ativar essa opção poderá aumentar a incidência de erros de integridade do cache local caso o Engine seja encerrado de forma forçada, exigindo que os caches sejam reconstruídos a partir do dados do banco de dados.