software‎ > ‎módulos‎ > ‎estoque‎ > ‎manuais‎ > ‎

Guia do inventário


INTRODUÇÃO

O presente trabalho visa esclarecer os procedimentos necessários para elaboração do inventário e sua apuração no Sistema UNUM. Aqui serão detalhados os cuidados prévios ao inventário e a formação da equipe de trabalho, sendo essencial sua leitura por completo antes de dar o primeiro passo.

A realização desta atividade merece atenção especial de todos os envolvidos, especialmente do coordenador do trabalho, ao qual caberá o planejamento prévio de todas as atividades.

O inventário representa uma contagem física dos itens de estoque ou dos imobilizados realizada pela empresa, visando saber a quantidade real de bens em seu poder, quer seja de sua propriedade ou não. Esta contagem quantitativa depende da existência de controles analíticos adequados e atualizados, aliados a um bom sistema de controle interno, sem o qual a empresa não consegue fazer comparativos da posição atual e medições de eficiência.

A utilização do inventário pelas empresas é um instrumento operacional dos mais importantes, tendo em vista sua repercussão no levantamento do balanço e dos resultados operacionais. Como ferramenta gerencial, reflete o grau de aprimoramento dos mecanismos de controle de entrada e saída de recursos (estoque, imobilizados), servindo de suporte às atividades de correção de controle quando apurados desvios de valores.

A existência destes controles internos é básica para qualquer empresa organizada avaliar o que possui e medir os desvios nos controles adotados. Os resultados obtidos vão servir para disparar uma série de medidas administrativas por parte do gestor, visando aprimorar o trabalho da organização e promover o crescimento da mesma.

Como todo trabalho, devemos planejá-lo antes de executá-lo, vislumbrando todas suas particularidades para que os fins sejam alcançados na plenitude.

Importante: Antes de prosseguir, leia atentamente o Manual de Funcionalidades. Nele você encontrará conceitos básicos da interface do Sistema UNUM, que o ajudará a compreender diversos termos utilizados neste manual.



FLUXO OPERACIONAL

Para que se possa realizar um inventário de forma eficaz, é necessário se ter um estoque devidamente organizado, com recursos previamente identificados ou etiquetados e armazenar estas informações em um sistema. Após essas operações, realiza-se a contagem dos recursos, esta podendo ser física ou importada de um coletor. Caso seja realizada a contagem física, torna-se necessário fazer a digitação das quantidades dos recursos.

Em seguida, faz-se uma conferência dos relatórios, que consiste na comparação das quantidades de recursos entre contagens, caso sejam realizadas mais de uma contagem. Também pode ser feita através de uma comparação do saldo armazenado no sistema de estoque com as quantidades obtidas através da contagem inventariada ou da importação do coletor.

Depois de conferir os dados, devem ser feitos os ajustes necessários, seja uma entrada ou saída de recursos que ainda não foi lançada no sistema. Se houver divergências nas comparações das contagens, também são feitos os ajustes a fim de tornar os valores idênticos. 
Somente se dá por encerrado o processo de inventário quando se tiver valores iguais.





PLANEJAMENTO DO INVENTÁRIO

O planejamento é a primeira fase do trabalho de realização do inventário. Durante esta fase, é necessário considerar seus diversos aspectos, conciliando-os com as necessidades da organização. Dois aspectos de suma importância a serem estudados, que serão descritos mais profundamente, são a periodicidade e a abrangência.

A periodicidade é o fator que determina o tempo que a empresa demora em repetir os procedimentos de um novo inventário. Representa a quantidade de vezes por período de tempo que é realizado o inventário. Para fins fiscais, a empresa deve realizá-lo anualmente. Contudo, as práticas gerenciais recomendam inventários com intervalos de tempo menores (por trimestres ou semestres).

A abrangência define quais bens serão inventariados. Tanto bens de imobilizado quanto bens de estoque podem ser inventariados em sua totalidade ou parcialmente. Se a quantidade ou variedade de bens é pequena, a empresa pode optar por fazer a contagem de todo um estabelecimento ou depósito.

Se, por outro lado, a quantidade ou variedade de bens é extensa ou ainda se a empresa possuir um bom controle analítico, a mesma pode realizar contagens rotativas. Neste caso, devem-se contar os itens de determinadas seções ou setores, de forma planejada, a fim de cobrir integralmente todos os bens ao final do exercício.

A documentação do trabalho de inventário também é peça fundamental para descrever cada fase e atribuir responsabilidades às pessoas da equipe. Devem-se enumerar:
  • As datas (quando): definição das datas nas quais serão realizadas as contagens. Estas datas devem ser estabelecidas levando-se em conta:
    1. O momento em que os itens objeto do inventário estarão organizados em suas respectivas seções, lojas ou depósitos;
    2. O respectivo registro, nos controles da empresa, das movimentações de entrada e saída através dos documentos legais dos itens a serem inventariados.
  • Os itens abrangidos (o quê): são os bens que serão incluídos pela contagem geral ou parcial do inventário.
  • As pessoas que farão a contagem (quem): definição das pessoas que farão o trabalho da contagem. A princípio, não é fator crítico para o sucesso do trabalho, salvo se a empresa tiver histórico de desvios de bens por funcionários. Normalmente, são os funcionários do estabelecimento, da seção ou do depósito que fazem esta atividade, mas, para garantir plena veracidade do processo, podem-se formar equipes mistas – com pessoas do setor e de fora dele – ou ainda pessoas totalmente fora do setor inventariado.
  • O estabelecimento ou depósito examinado (onde): a delimitação da área de trabalho é primordial para seu início, pois é a partir dela que se dimensiona a quantidade de pessoas nas equipes de trabalho, a melhor data e a melhor prática a se adotar.
  • A prática adotada (método): a forma a se utilizar para a contagem deve ser a que melhor garanta a qualidade do trabalho, nos aspectos de eficácia, praticidade e menor tempo, de acordo com os recursos materiais e humanos disponíveis na empresa. O próximo capítulo explorará com mais precisão esse importante quesito do planejamento. Após o planejamento, a empresa deve adotar alguns procedimentos preliminares que vão viabilizar a concretização dos trabalhos. Estas atividades, de igual importância à contagem propriamente dita, devem ser realizadas com a antecedência necessária, podendo comprometer todo o resultado caso não sejam observados, a saber:
  • Organizar as áreas (estabelecimentos, depósitos ou seções), colocando cada bem no seu devido lugar para facilitar sua localização;
  • Identificar cada bem através de cartazes ou etiquetas com o respectivo nome e código. Caso a empresa venha a adotar o método de contagem por coletor, o tipo da etiqueta adotada deve ser adequado ao equipamento empregado.
Importante: Lembre-se sempre que o inventário representa a posição de saldo no final do dia do inventário. Portanto, documentos fiscais de entrada ou saída ainda pendentes de registro no controle devem ser registrados previamente, não sendo admitida qualquer movimentação de bens durante a contagem.

A necessidade da organização do local a ser inventariado se justifica pelo fato de o inventário representar a posição final de saldo do recurso em certa data e em certo local. Assim, se o mesmo recurso se encontrar em locais diferentes dentro do mesmo depósito ou loja, o resultado ficará comprometido, pois a contagem não indicará o total do recurso existente. Isto é particularmente importante para que o usuário não pense que contando os itens estocados no depósito e esquecendo os mesmos itens localizados na frente da loja, por exemplo, terá consistência de informação.

Além disso, o gestor ou coordenador do inventário devem observar se existem itens já faturados até a véspera do trabalho e ainda não foram expedidos. Neste caso, deve-se tomar cuidado especial visando identificá-los por meio do respectivo documento fiscal (1ª via) afixados aos lotes (ou embalagens) no setor responsável pela expedição. Os mesmos não serão objetos da contagem no inventário.



INVENTÁRIO

O processo "Inventário" está localizado em Ir para > Estoque > Inventário. Através dos botões presentes neste processo, pode-se realizar a digitação dos recursos inventariados, ou seja, adicionar novos dados relativos a qualquer das contagens realizadas.

Essa digitação de dados pode ocorrer pela forma tradicional de entrada de dados ou pela importação através de um arquivo texto.
Importante: Observe se o usuário a realizar a digitação do inventário tem a devida permissão para tal. Para maiores informações, leia a parte referente a permissões no “Manual de Segurança”.


Gerar Novo Inventário

Para se gerar um novo inventário, deve-se clicar no botão “Novo”. Dentro da grade apresentada, os campos deverão ser preenchidos a fim de selecionar quais recursos serão inventariados. O usuário preencherá as variáveis conforme seja sua necessidade observando os filtros e tipos de análises. Uma vez escolhida as variáveis o usuário poderá acionar o botão "Gerar Inventário". O sistema apresentará uma nova interação com o resultado da proposta de inventário. Este ainda não esta salvo no sistema sendo necessária a ação do usuário para gravar. Para isso o usuário deverá selecionar pelo pelo menos um dos registros e clicar em salvar. Uma vez salvo já será possível a impressão da listagem do inventário através do botão "Lista do Inventário" a ser contado, como também a digitação destas contagens.

Importante: A opção de criação de um novo inventário não é dada para todos os usuários do sistema. Assim, é preciso realizar uma configuração de permissões para que o botão “Novo” fique habilitado. Para isso, basta acessar o processo de “Permissões” (Ir Para > Admin > Segurança > Permissões > Permissões).

Na grade à esquerda “Árvore de classes”, selecione a opção “Inventário.ip”, presente no caminho Raiz > products > INTEQresource > Estoque > Inventário > Inventário.ip. Depois de selecioná-la, verifique na grade à direita “Permissões” o grupo ao qual se deseja dar a permissão de criação de um novo inventário, e preencha o campo “Palavras Chave” com a opção “Gera Inventário”.



Digitar Contagens

Depois de gerar o inventário, imprimir o relatório e realizar a contagem, é necessário digitar no sistema os dados obtidos. Para isso, clique no botão “Digitar Contagem”. Será então apresentada a seguinte grade, a fim de buscar o inventário cuja contagem será digitada:
 

  • Chave de Criação – Informe a chave de criação do inventário desejado. Todos os registros de uma contagem pendente desse inventário serão mostrados. Caso este campo seja preenchido, todos os outros serão automaticamente desabilitados.
  • Data inicial do inventário* – Informe necessariamente a data inicial do intervalo de tempo no qual se iniciou a realização do inventário. Utilize o formato DD/MM/AAAA.
  • Data final do inventário* – Informe necessariamente a data final do intervalo de tempo no qual se finalizou a realização do inventário. Utilize o formato DD/MM/AAAA.
  • Hora Inicial – Indique a hora inicial do intervalo de tempo no qual se deu início o inventário. Utilize o formato HH:MM. 
  • Hora Final – Indique a hora final do intervalo de tempo no qual se concluiu o inventário. Utilize o formato HH:MM.
  • Classe de Inventário* – Indique obrigatoriamente a classe que agrupa o inventário realizado. A classe normalmente usada é “Inventários”.
  • Depósito* – Informe obrigatoriamente o nome depósito cujo inventário foi realizado. Ao preencher este campo, os campos “Local de Escrituração” e “Estabelecimento” ficarão desabilitados.
  • Local de escrituração – Apresente o nome do local de escrituração relativo ao depósito que foi inventariado. 
  • Estabelecimento – Apresente o nome do estabelecimento associado ao depósito que foi inventariado.
  • Fabricantes – Informe o nome da pessoa que fabricou os recursos inventariados. Podem ser escolhidos mais de um fabricante.
  • Fornecedores – Indique o nome da pessoa que forneceu os recursos inventariados. Podem ser selecionados mais de um fornecedor.
  • Classe de Recurso – Represente a classe que agrupa os recursos cuja contagem está sendo efetuada. Podem ser escolhidas mais de uma classe.
Depois de preenchidos todos os campos necessários, clique no botão “Executa Busca de Contagem para Digitação”. Caso o usuário esteja entrando com os dados da primeira contagem, será apresentada a grade “Digitação da contagem” mostrada mais adiante. Se a primeira contagem já tiver sido feita, e o usuário deva realizar outras contagens (segunda, terceira, etc), será mostrada a seguinte mensagem:



Escolha a opção desejada de acordo com a necessidade. Será então apresentada a seguinte grade:



Para se digitar a contagem desejada, preencha o campo “Quantidade” com o valor encontrado relativo a cada recurso. Preencha todos os campos necessários, e após a digitação, clique no botão “Finalizar Contagem” para salvar as modificações. Após finalizada a contagem, o sistema apresentará a seguinte mensagem:


 
Importante: Também é possível realizar a digitação de contagens através do botão “Novo”. Realiza-se normalmente o procedimento de criação do inventário; porém, em vez de imprimir o relatório de contagem, pode-se preencher o campo “Quantidade” com os dados obtidos.


Importar Contagens

Este processo permite fazer a importação dos saldos dos recursos inventariados através de um arquivo. Após realizar as contagens de inventário, o usuário deve digitar os dados obtidos em um arquivo eletrônico, para assim poder importá-lo ao Sistema UNUM.

Para utilizar o método de importação de contagens, é essencial que este arquivo atenda a algumas exigências. Primeiramente, ele deverá ser no formato texto, sendo permitidas apenas as extensões TXT ou CSV. Deve apenas conter dados, ou seja, não deve possuir cabeçalhos, rodapés, nem pode possuir linhas vazias no final.

Os campos do tipo 'caractere' não devem ter aspas separando seus conteúdos. Além disso, os campos contendo valores não podem ter separadores de milhar. Por exemplo, “12.345” deve ser escrito como “12345”.

Este arquivo deve estar ordenado da seguinte maneira: Código (EAN, EAN13, código do fornecedor, etc); Quantidade; Lote; Depósito. Todas as linhas serão semelhantes e não deve haver espaços entre as variáveis. Por exemplo: 2500020587409;10;9465;97653944. O usuário deve obrigatoriamente informar o código e a quantidade no arquivo; contudo, não precisa informar o lote nem o depósito.

Caso queira informar apenas o código, a quantidade e o depósito (e não o lote), deve ser colocado um espaço e ponto-e-vírgula para representar o lote, a fim de diferenciar 'lote' e 'depósito' no sistema. Por exemplo: 2084389533236;3; ;9756898.

Observe que todos os recursos inventariados devem estar previamente cadastrados no sistema, com seus respectivos códigos. Caso contrário, o sistema apresentará o código em vermelho, para que o usuário realize seu cadastro.

Também neste processo é possível alterar a extensão do arquivo importado para que seja 'invalidada' uma utilização, para que não haja duplicidade de inventários ou contagens.

Ao clicar no botão “Importar Contagens”, será apresentada a grade a seguir:



  • Caminho completo do arquivo* – Especifique obrigatoriamente a localização física do arquivo, dentro de sua estrutura de diretórios. OBSERVAÇÃO: O nome do arquivo não deve ser informado nesse campo.
  • Extensão do arquivo* – Escolha necessariamente a extensão do arquivo a ser importado, se é um arquivo TXT ou CVS.
  • Exibição do campo “Descrição”* – Indique obrigatoriamente a opção que deseja apresentar na coluna “Descrição” do relatório, se o código ou o nome do recurso.
  • Ordenação dos Registros* – Escolha como deseja ordenar as informações exibidas no relatório. 
  • Data do Inventário* – Informe a data na qual foi realizado o inventário do arquivo a ser importado. É aconselhável que essa data seja a mesma para quaisquer recontagens, por questão de organização, assim como a confrontação da contagem com o saldo de estoque deve ser sempre realizada em uma mesma data para todos os itens da contagem. Utilize o formato DD/MM/AAAA.
  • Tipo de Contagem* – Indique o número da contagem realizada. Preencha este campo com algarismos naturais (1,2,3...).
  • Chave de Criação* – Informe a chave de criação do inventário desejado. Todos os registros de uma contagem pendente desse inventário serão mostrados. Caso o campo “Tipo de Contagem” tenha sido preenchido com o número 1, este campo será desabilitado.
  • Classe de Inventário* – Indique a classe de agrupamento de inventários que será associada às contagens importadas. A classe normalmente usada é "Inventários".
  • Depósito – Informe necessariamente o depósito cujos recursos foram inventariados.
Depois de preencher os campos necessários, clique no botão “Selecionar arquivos”. Caso você não tenha colocado o caminho correto do arquivo, ou se o nome do arquivo tiver sido informado neste campo – o que não deve ser feito – será apresentada a mensagem de erro seguinte:



Já se o caminho for informado corretamente, será apresentada uma lista com todos os arquivos TXT e CVS existentes dentro da pasta informada. Selecione o arquivo desejado e confirme a operação na mensagem apresentada. Você terá então o relatório mostrado a seguir:



Neste relatório, estão listados os recursos referentes aos códigos que se encontram no arquivo importado. Caso algum código não possua correspondência com nenhum recurso no sistema, ele deve ser adicionado na grade “Código”, podendo ser um EAN, ANP ou outro, dentro do cadastro do recurso.

Caso os recursos estejam todos ativos, clique no botão “Gravar Inventário”. Será então apresentada a grade “Criação da Contagem”, contendo todos os dados referentes à contagem importada. Nesta grade, os campos podem ser editados caso necessário. Confirme as alterações e clique no botão “Finalizar Contagem”. 

Importante: Esta ferramenta serve principalmente para empresas que estão implantando o Sistema UNUM pela primeira vez, e possuem todos seus dados em arquivos eletrônicos.
 


AJUSTE OU IMPLANTAÇÃO DE SALDOS COM BASE EM INVENTÁRIO

Os ajustes ou a implantação de saldos funcionam como reguladores do estoque. Muitas vezes, há diferença entre os valores finais de estoque no sistema e o valor da contagem física do inventário. Isso ocorre devido a uma falta de lançamento no sistema, seja de venda, compra ou perda de recursos.

O processo utilizado para verificar e corrigir divergências encontra-se em Ir para > Estoque > Inventário > Ajuste ou Implantação de Saldos com Base em Inventário. Através desse processo, você poderá gerar pedidos de entrada ou requisições de ajuste de estoques com base nos inventários já realizados.

O ajuste de estoque permite tornar iguais os saldos físico e financeiro dos recursos inventariados. Para saber se há ou não alguma diferença entre os valores de inventário e saldo no sistema, você pode realizar uma consulta ao relatório “Análise de Divergência do Inventário”.

Este processo busca as contagens cujas variáveis foram especificadas, faz o confronto dessas informações com os saldos em estoque, checando a combinação dos campos obrigatórios “Classe Inventário”, “Data do Inventário” e “Tipo de Contagem”. Desse confronto podemos ter as seguintes situações:
  • INVENTÁRIO = SALDO: O sistema não gerará nenhuma divergência;
  • INVENTÁRIO > SALDO: A quantidade obtida através da contagem de inventário é suficiente para fazer frente aos saldos em estoque no sistema, e ainda se tem “sobra”. Nesse caso, precisam ser efetuados ajustes de entrada do recurso no estoque para que seu número equipare à quantidade contada no inventário. O processo irá gerar um pedido de entrada com a classe especificada na “Classe do Pedido”, para as divergências selecionadas na grade “Itens do Inventário”.
  • INVENTÁRIO < SALDO: A quantidade contada por ocasião do inventário não é suficiente para fazer frente aos saldos em estoque no sistema. Nesse caso, precisam ser efetuadas requisições de ajuste da saída ou pedidos de perda do recurso no estoque para que seu número se equipare à quantidade contada no inventário.


  • Classe Inventário* – Informe obrigatoriamente a classe que agrupa o inventário a ser implantado. A classe normalmente usada é “Inventários”.
  • Data do Inventário* – Apresente obrigatoriamente a data de realização do inventário. Utilize o formato DD/MM/AAAA.
  • Locais de Escrituração – Indique o local de escrituração no qual foram realizadas as contagens cujos saldos serão ajustados. Podem ser selecionados mais de um local de escrituração.
  • Classe Almoxarifado – Informe a classe que agrupa o almoxarifado cujas contagens serão ajustadas.
  • Almoxarifado: Informe o almoxarifado cujos saldos se deseja ajustar.
  • Tipo de Contagem* – Informe necessariamente o número da contagem cujos saldos serão ajustados. Preencha este campo com algarismos naturais (1,2,3...).
  • Classe de Recurso – Escolha a classe que agrupa os recursos cujos saldos deseja implantar em estoque.
  • Recurso – Escolha o recurso desejado para implantar os saldos em estoque. Podem ser escolhidos mais de um recurso.
  • Lote – Indique o lote do recurso inventariado cujos saldos deseja ajustar. Podem ser selecionados mais de um lote.
  • Lote de Ativo Imobilizado – O sistema possibilita que os lotes de ativos imobilizados sejam único e que a quantidade destes não sejam maior que um no estoque da empresa, por mais que exista mais de uma empresa em uma mesma base de dados. 
  • Considera não inventariados como zerados – Selecione esta opção se desejar incluir os itens que ainda não foram inventariados, porém com valores zerados.
  • Utiliza Custo Médio – Marque esta opção caso queira que o sistema calcule o custo médio dos recursos.
  • Classe do Pedido – Apresente o tipo de operação a ser realizada no ajuste.
  • Almoxarifado perdas e faltas – Informe o almoxarifado para onde devem ir as diferenças existentes causadas por perdas e faltas.
  • C.Custos ou Resultado para Requisição – Especifique para qual centro de custos ou resultados será direcionada a requisição de ajuste.
Após informar todos os campos necessários, clique no botão “Executar”. Será apresentada a grade “Itens do Inventário”, mostrando os itens que atendem às suas especificações e que apresentam divergências entre o saldo e as contagens.

Nessa grade são apresentadas informações do recurso, do lote, do custo estratificado do recurso (MAT, MOD e GGF) e, dentro da coluna de quantidade, as colunas:
  1. Inventário: Quantidade contada do recurso por ocasião do inventário.
  2. Estoque: Saldo do recurso em estoque na data de realização do inventário.
  3. Ajuste: Diferença verificada entre as colunas Inventário e Estoque.
É apresentada ainda a coluna “Valor Total”, que representa a quantificação da diferença em termos financeiros, ou seja, é a diferença entre o saldo do recurso e a contagem, multiplicada pelo custo unitário do mesmo (MAT+MOD+GGF).


Criar Pedido de Entrada

Quando o número de recursos obtido pela contagem estiver superior ao saldo em estoque no sistema, deverá ser realizada uma entrada no estoque, com quantidade correspondente à divergência verificada, para que esse saldo se equipare à contagem. Nesse caso, você deverá selecionar os itens cujos saldos deseja ajustar e clicar no botão “Criar Pedido de Entrada”.

Importante: Para que seja criado o pedido de entrada, o campo “Classe do Pedido” deve ser necessariamente informado. Caso contrário, ao clicar no botão “Criar pedido de entrada”, aparecerá a seguinte mensagem:


 
Após selecionar os recursos necessários para realizar a implantação dos saldos, caso estes recursos já tiverem passado por um processo anterior, será apresentada a mensagem de alerta abaixo. Clique “Sim” para continuar a operação:
 


Essa mensagem serve para avisar que a implantação de saldos já foi realizada e que uma nova implantação poderá causar problemas com o custo médio, caso esse seja divergente do custo médio atual dos recursos em estoque no sistema. Em seguida, o sistema fará a geração de baixa dos pedidos de implantação de saldos em estoque, exibindo ao final do procedimento a chave do pedido, semelhante ao texto seguinte: “Chaves criadas: 36396642”.

Importante: Ao gerar um pedido de entrada, o sistema poderá apresentar algumas mensagens, informando como está o andamento do processo.


Criar Requisições de Ajuste

Quando o número de recursos obtido pela contagem estiver diferente do saldo em estoque no sistema, poderá ser realizada uma simples requisição de ajuste, inclusive para entradas no estoque. Este procedimento no sistema é bastante simples, pois são feitas as alterações automaticamente, basta escolher que item deseja ajustar.

Importante: Para se efetuar a requisição, é necessário preencher na grade de variáveis o campo “C.Custos ou Resultado para Requisição”. Se não estiver preenchido, ao tentar realizar o ajuste, será apresentada a seguinte mensagem:



Selecione o recurso cujos valores serão ajustados e clique no botão “Criar Requisições de Ajuste”. Observe que deve haver saldo – no depósito selecionado – deste recurso para que seja retirado através da requisição. Irá aparecer a mensagem abaixo; clique “Sim” para continuar a operação:


 
Depois de selecionado o item e clicar no botão para criar o ajuste, a requisição estará feita e seus valores modificados. Aparecerá a seguinte mensagem:



 

CONSULTAS DO MÓDULO

As consultas apresentadas a seguir estão localizadas em Ir para > Estoque > Inventário.


Análise de Contagens

Este relatório serve para apresentar dados sobre as contagens realizadas, tais como a data e a quantidade de contagens realizadas, número de divergências e porcentagem relativa a elas, dentre outras informações.
 

  • Data Inicial do inventário* – Informe necessariamente a data inicial do intervalo de tempo no qual foram realizadas as contagens desejadas. Utilize o formato DD/MM/AAAA.
  • Data Final do inventário* – Informe necessariamente a data final do intervalo de tempo no qual foram realizadas as contagens desejadas. Utilize o formato DD/MM/AAAA.
  • Classe de Inventário* – Apresente obrigatoriamente a classe que agrupa o inventário cujas contagens serão apresentadas na consulta.
  • Depósito – Indique o depósito cujas contagens serão visualizadas na consulta. Caso este seja preenchido, os campos “Local de Escrituração” e “Estabelecimento” ficaram desabilitados.
  • Local de escrituração – Apresente o local de escrituração no qual estão alocados os recurso que se deseja apresentar na consulta.
  • Estabelecimento – Informe o estabelecimento inventariado cujas contagens serão analisadas.
  • Fabricantes – Informe o nome do fabricante dos recursos que deseja apresentar na consulta. Podem ser selecionados mais de um fabricante.
  • Fornecedores – Indique o nome do fornecedor dos recursos a serem apresentados na consulta. Podem ser selecionados mais de um fornecedor.
  • Classes de Recursos – Indique a classe que agrupa o recurso cujas contagens serão visualizadas. Podem ser selecionadas mais de uma classe.
Depois de preencher os campos necessários, clique no botão “Executar”. Será então apresentado um relatório, semelhante ao exibido a seguir:



Análise de Divergência do Inventário

Este relatório serve para apresentar os dados das contagens selecionadas, mostrando um comparativo entre o que foi levantado por essas contagens de inventário e os saldos em estoque de recursos desejados. Ele permite selecionar algumas opções de visualização, como mostrar ou não o lote, a classe, o custo e a diferença de custo, dentre outros.

Algumas colunas do relatório somente são apresentadas se possuírem as devidas permissões configuradas nas palavras-chaves do processo. As colunas são Saldo Atual, Saldo Inventário, Quantidade Inventariada, Divergências entre Saldo Atual e Quantidade Inventariada e Custos.


  • Data Inicial do inventário* – Informe necessariamente a data inicial do intervalo de tempo no qual foram realizadas as contagens desejadas. Utilize o formato DD/MM/AAAA.
  • Data final do inventário* – Informe necessariamente a data final do intervalo de tempo no qual foram realizadas as contagens desejadas. Utilize o formato DD/MM/AAAA.
  • Classe de Inventário* – Apresente obrigatoriamente a classe que agrupa o inventário cujas contagens serão apresentadas na consulta.
  • Depósito – Indique o depósito cujas contagens serão visualizadas na consulta. Caso este seja preenchido, os campos “Local de Escrituração” e “Estabelecimento” ficaram desabilitados.
  • Local de escrituração – Apresente o local de escrituração no qual estão alocados os recurso que se deseja apresentar na consulta. Caso este seja preenchido, os campos “Depósito” e “Estabelecimento” ficaram desabilitados.
  • Estabelecimento – Informe o estabelecimento inventariado cujos recursos serão apresentados. Caso este seja preenchido, os campos “Depósito” e “Local de Escrituração” ficaram desabilitados.
  • Fabricantes – Informe o nome do fabricante dos recursos que deseja apresentar na consulta. Podem ser selecionados mais de um fabricante.
  • Fornecedores – Indique o nome do fornecedor dos recursos a serem apresentados na consulta. Podem ser selecionados mais de um fornecedor.
  • Classes de Recursos – Indique a classe que agrupa o recurso cujas contagens serão visualizadas. Podem ser selecionadas mais de uma classe.
  • Tipo de Resultado – Indique o tipo de análise de divergência que deverá ser mostrada, se devem ser apresentados todos os registros da última contagem ou apenas os divergentes. 
  • Trazer recursos com saldos mas que não foram inventariados – Selecione esta caixa para que sejam apresentados os recursos que possuem saldo no estoque, mas que não foram inventariados. 
  • Mostra Unidade – Marque esta opção caso queira apresentar a unidade de medida dos recursos cuja contagem será visualizada.
  • Mostra Classe – Selecione esta opção se desejar apresentar a classe dos recursos cuja contagem será visualizada.
  • Mostra Lote Inventário – Marque esta caixa caso queira mostrar o lote de inventário referente aos recursos cuja contagem será exibida no relatório.
  • Mostra Lote – Selecione esta caixa se desejar mostrar o lote de cada recurso ao exibir o relatório.
  • Mostra Custo – Marque esta opção caso queira apresentar o custo unitário dos recursos na exibição da contagem.
  • Mostra Diferença Custo – Selecione esta opção se desejar mostrar os custos atual e de inventário de cada recurso ao exibir o relatório.
Depois de preencher todos os campos necessários, clique no botão “Executar”. Será apresentada a grade abaixo, para que se possa selecionar a contagem cujas divergências deseja analisar através do relatório:


 
Depois de clicar na caixa de seleção referente à contagem desejada, clique no botão “Exibir Divergências do Inventário”. Será então apresentado um relatório semelhante ao mostrado a seguir:
 


Comparação entre Contagens

Esse relatório mostra um comparativo entre as contagens de um mesmo inventário, permitindo com isso uma análise das possíveis divergências apresentadas. 
 

  • Data inicial do inventário* – Informe necessariamente a data inicial do intervalo de tempo no qual foram realizadas as contagens desejadas. Utilize o formato DD/MM/AAAA.
  • Data final do inventário* – Informe necessariamente a data final do intervalo de tempo no qual foram realizadas as contagens desejadas. Utilize o formato DD/MM/AAAA.
  • Classe do Inventário* – Informe a classe que agrupa o inventário cujas contagens deseja comparar.
  • Depósito – Indique o depósito no qual foram realizadas as contagens do inventário para comparação.
  • Local de escrituração – Apresente o local de escrituração cujas contagens serão comparadas. Caso este seja preenchido, os campos “Depósito” e “Estabelecimento” ficaram desabilitados.
  • Estabelecimento – Informe o estabelecimento inventariado que terá suas contagens comparadas. Caso este seja preenchido, os campos “Depósito” e “Local de Escrituração” ficaram desabilitados.
  • Fabricantes – Indique o nome do fabricante dos recursos cujas contagens serão comparadas. Podem ser escolhidos mais de um fabricante.
  • Fornecedores – Indique o nome do fornecedor dos recursos cujas contagens serão apresentadas. Podem ser escolhidos mais de um fornecedor.
  • Classe de Recurso – Apresente a classe que agrupa os recursos que se deseja comparar. Podem ser escolhidas mais de uma classe.
  • Tipo da situação da contagem – Escolha o tipo de contagens que serão comparadas, levando-se em conta a situação das mesmas, se estão em aberto ou se finalizadas.
Depois de preencher os dados e clicar no botão “Executar”, será visualizada a grade seguinte:
 


Nesta grade, selecione a contagem que se deseja comparar e o sistema automaticamente selecionará a outra contagem a ser comparada à selecionada. Depois, clique no botão “Exibir Relatório de Divergências Entre Contagens”. Será exibido um relatório para comparação semelhante ao mostrado a seguir:




Listagem de Inventário Rotativo

O inventário rotativo consiste em um método de contagem física e contínua na qual o estoque é contado em intervalos regulares. Isso permite que os recursos de alta rotatividade dentro da empresa sejam contados com maior frequência do que os de baixa rotatividade. 

Esta listagem visa imprimir um relatório para se realizar de forma mais objetiva a contagem do inventário rotativo. Dentro do relatório “Listagem de Inventário Rotativo”, você observará a seguinte tela:


  • Data do Inventário* – Apresente obrigatoriamente a data na qual foi realizado o inventário rotativo. Utilize o formato DD/MM/AAAA.
  • Classe de Inventário* – Indique necessariamente a classe que agrupa o inventário rotativo a ser visualizado.
  • Local de Escrituração* – Informe obrigatoriamente o local de escrituração do depósito que foi inventariado. 
  • Classe de Depósito – Informe a classe que agrupa os depósitos cujos recursos foram inventariados.
  • Depósito – Apresente o nome do depósito cujos recursos foram inventariados.
Depois de preencher os dados e clicar no botão “Executar”, será exibida a seguinte tela:
 


Importante: Se nenhum inventário rotativo tiver sido feito na data e no local de escrituração especificados, o sistema apresentará a mensagem de erro abaixo. Nesse caso, retorne à tela anterior e preencha os campos com outros dados.